Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Maio 2017

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031


Pesquisar

 


IndieLisboa 2017: "I'm not a Serial Killer"

por Roni Nunes, Sábado, 06.05.17

Artigo originalmente postado em SAPO MAG (http://mag.sapo.pt/cinema/atualidade-cinema/artigos/diario-do-indielisboa-ciao-ciao-e-outros-destaques

 

Se a ideia da secção Boca do Inferno é trazer “sexo e terror”, nem “I’m not Your Serial Killer” nem “The Alchemist Cookbook”, ambos vindos da edição do South by Southwest do ano passado, trazem muito deles. O que, em si, não é bom nem mau.

 

 

No primeiro filme, o protagonista é o adolescente John Wayne Cleaver (Max Records) - ”merecedor” (acredita ele) de um estranho diagnóstico: é um assassino em série em potencial. Fascinado por mortos e cadáveres, trata-se com um psicólogo e cerca-se de uma série de regras para não cair em tentação.

 

Mas nem todos são como ele: de repente, na pequena cidade onde vive, alguém começa a cometer crimes e, na linha do “meu vizinho é um assassino”, nesta história onde a autoridade está ausente cabe a ele resolver o “problema”.

 

“I’m not a Serial Killer” é uma adaptação de um livro de sucesso de Dan Wells, cuja saga que inaugurou foi classificada, para efeitos de comércio, como para o público “jovem adulto”.

 

serial.killer (Copy).jpg

 

A categorização dá para o filme: o cineasta irlandês Billy O’Brien não fez uma obra para fãs de “Crepúsculo”. Isto não quer dizer que vísceras escorram livremente pelo ecrã – mesmo lidando com um "serial killer" “especializado” nisto mesmo: arrancar órgãos. Quanto a sexo, nem vê-lo: a menina que anda a rondar o “projeto de assassino” não ganha nem uma piscadela.

 

Sempre operando no limite da credibilidade, “I’m Not a Serial Killer”, que conta com participação do veterano Christopher Lloyd (“Regresso ao Futuro”), aposta grande num final… para dizer o mínimo, “inusitado”.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Roni Nunes às 13:40

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Comentários recentes

  • Cleber Nunes

    Sem dúvida é um filme que me despertou interesse ...



Posts mais comentados




subscrever feeds